Aprender a investir – guia para iniciados

Investir é algo que todo mundo deveria fazer mas infelizmente poucos são os que têm algum tipo de investimentos. O mais normal é achar que é complicado, achar que é preciso muito dinheiro e achar que não se tem tempo para isso.

Tudo isso está errado!

Pode-se investir com qualquer quantia, pode-se automatizar o processo e não perder mais do que 20 minutos por ano e é simples quando se sabe o que fazer.

Aprender a investir

Com meia dúzia de horas do seu tempo pode aprender as bases do investimento e ter uma vida financeira de sucesso ou simplesmente preparar a sua reforma para não ter que se preocupar com o futuro.

Parece bom demais para ser verdade?

Warren Buffet é o maior investidor de todos os tempos e o conselho dele para os investidores comuns é apenas um: “invista em fundos de índice!”

A maioria das pessoas nem sequer sabe o que é um fundo de índice. Não há problema, é por isso que digo que é preciso meia dúzia de horas. Porque a maioria das pessoas precisa primeiro de entender certos conceitos sobre investimentos.

É por isso que construí este site. Para que toda a gente possa aprender gratuitamente as bases do investimento de sucesso. 

Algumas pessoas assimilam estes conceitos em 2 ou 3 horas. Outras talvez precisem de 10. Não importa! O que importa é que sei que se dedicar algumas horas do seu tempo a aprender estes conceitos a sua vida vai mudar. 

Mal não faz. O saber não ocupa espaço!

O primeiro passo é poupar

Criar um hábito de poupança é importante não só para garantir uma reforma mais feliz e descansada mas também porque não se sabe o dia de amanhã e é sempre bom ter algum dinheirinho de lado, não vá a gente ficar sem emprego ou algo ruim acontecer.

Nem que seja uns míseros 20 euros por mês! Como já disse não é preciso ter muito dinheiro para começar, mas é preciso ter algum!

Investir em quê?

Vamos manter as coisas simples. Um investidor para ser bem sucedido só precisa de investir em fundos de índice, uma parte em fundos índice de ações e outra de obrigações.

Muitos “conselheiros” vão dizer-lhe que precisa de mil e uma coisas mas na verdade isso é porque querem vender-lhe revistas ou cursos ou simplesmente querem que gaste mais dinheiro em comissões de transações.

Deixe-me deixar-lhe a minha opinião bem claro: você só precisa de investir nestes dois tipos de fundos ao longo da sua vida.

Eu vou explicar o que significa cada um desses conceitos mas para já quero apenas que saiba: é simples e é o que funciona. É tão simples que tenho neste site uma página com os detalhes do meu portfólio para que todos possam ver que o que recomendo às pessoas é o que faço pessoalmente!

O que é um fundo?

Um fundo é como uma sociedade ou uma carteira. É um cabaz que pode ter lá dentro vários tipos de ativos como ações, obrigações, outros fundos, alternativos, ouro, etc etc. Esses fundos são geridos por bancos de investimento e são vantajosos para os pequenos investidores pois podemos investir a partir de pequenas quantias como 10 ou 20€ sem pagar comissões de subscrição.

Existem vários tipos de fundos e explico melhor isso noutro artigo para quem quiser saber mais mas para o investidor iniciante, essa definição simples chega bem.

O que são ações?

As ações são o tipo de ativo mais comum e mais importante. Quando alguém fala em “jogar” na bolsa fala provavelmente em negociar ações.

As ações são títulos de propriedade de uma empresa, são pequenas partes da empresa, ou seja, se você tem ações de uma empresa, é um dos donos! Muita gente vê as ações como números para fazer apostas sobre os preços mas é importante lembrar que as ações representam partes da empresa e o acionista é um dos donos dela!

O que são obrigações?

Uma obrigação é um titulo de divida. comprar obrigações de uma empresa ou de um governo é o mesmo que lhes emprestar dinheiro, ou seja, esse governo ou empresa paga juros periodicamente aos donos das obrigações e no final do prazo da obrigação devolve o dinheiro da obrigação ao obrigacionista.

NOTA: O acionista é dono da empresa enquanto o obrigacionista apenas lhe empresta dinheiro. Esta distinção é importante ser percebida pois faz com que estes dois tipos de ativos tenham tipos de riscos diferentes e portanto são um bom complemento um ao outro para diluir os riscos da carteira do investidor.

O que é um fundo de índice?

Um índice é como uma lista de ativos. Por exemplo o índice PSI20 é uma lista das 20 (embora atualmente 18) maiores empresas de Portugal.

investir num índice

Um fundo de índice é um fundo cujos ativos são os da lista do índice. Neste caso um fundo de índice sobre o PSI20 teria ações das 18 maiores empresas.

Um pequeno à parte: não existe fundo de índice para o PSI 20 pois Portugal é muito pequenino! 😉

Ações vs Obrigações

Uma carteira equilibrada deve ter uma parte de ações e uma de obrigações. Embora esteja comprovado que no longo prazo as ações trazem sempre melhores retornos que obrigações, o bom senso manda equilibrar as coisas. Também sou da opinião que para a maioria das pessoas é preferivel ter um pouco menos de retorno em troca de mais estabilidade e segurança da carteira.

Isso leva-nos à questão do peso de cada componente.

peso dos investimentos

Quanto ter em açóes e quanto ter em obrigações? Esta parte é um pouco mais complicada pois depende muito das circunstancias pessoais de cada um. Por exemplo uma pessoa de 30 anos a poupar para a reforma deve ter uma carteira diferente de uma de 60 que está quase na reforma.

A abordagem mais comum é 60% ações e 40% obrigações. Concordo que é uma boa abordagem e serve perfeitamente para a maioria das pessoas mas tenho uma sugestão melhor.

Invista a sua idade em obrigações. Por exemplo se tiver 25 anos deve ter 25% obrigações e 75% em ações. Se tiver 80 deve ter 80% em obrigações e 20% de ações.

Se tiver 100 ou mais anos dou-lhe os parabéns e digo-lhe para não se preocupar com dinheiro e gastá-lo num cruzeiro!

Esta sugestão baseada na idade não é totalmente perfeita mas é a mais perfeita que consigo arranjar sem saber coisas em concreto sobre si. Se quiser aprofundar mais esta questão dos portfólios, tenho aqui um artigo onde explico melhor as ideias e tipos de portefolios.

Equilibrar o Portfolio

equilibrar o portfólio

Ocasionalmente o investidor deve dar uma olhada no portfolio para ver se não está desiquilibrado. Quando digo ocasionalmente digo entre 6 a 12 meses.

Pessoalmente faço rebalanciamento do portefolio a cada 6 meses mas se quiser ver só de ano a ano não há problema.

Só não recomendo menos que 6 meses para não criar o vicio de andar sempre a comprar e a vender, e também não recomendo muito mais que um ano para não deixar as coisas descontroladas.

O que significa balancear o portfólio?

O que quero dizer com equilibrar ou balancear? Imagine que o seu objetivo é 60% ações e 40% obrigações. No inicio do ano estava tudo equilibrado nas percentagens certas mas veio o sacana do covid e as bolsas cairam. O seu portefolio está agora por exemplo em 45% açoes e 55% obrigações. O que fazemos? vendemos o excendente de obrigações e compramos mais de ações, de maneira a que volte aos 60/40. Daqui a meio ano voltamos a dar uma olhada e corrigimos outra vez se necessário.

Na maioria das vezes não vai ser preciso corrigir nada! E se a diferença for só de 2 ou 3% nem me dou ao trabalho de mexer e espero mais uns meses.

Equilibrar o portefolio é importante pois permite manter os nossos objetivos e faz uma coisa fantástica: comprar barato e vender caro!

Se você continuar a poupar e adicionar poupanças ao seu portfólio, provavelmente nem precisa de balancear, basta ir adicionando à componente que estiver com peso abaixo do alvo.

Para quem nem esse trabalho ou preocupação quer ter, pode optar por alguns fundos ou PPR que são naturalmente equilibrados. O mais comum é rondarem os 60/40 e o rebalanceamento é feito internamente ao fundo pelo que o investidor apenas precisa de subscrever o fundo e “esquecê-lo completamente”.

NOTA: estes são os conceitos fundamentais para um iniciado poder investir e estão aqui explicados de uma maneira muito simples mas incompleta. Sugiro a quem tiver um pouco de tempo que leia as explicações mais completas desses conceitos: fundos, ações e obrigações. Quando falo em ter ações e obrigações não se esqueça que me refiro a ter fundos índice de ações e obrigações.

Quais os fundos em concreto para investir?

Agora que sabemos o que são ações, obrigações e fundos, e que sabemos quanto investir em cada componente falta saber quais os fundos onde aplicar o nosso dinheiro.

investir em fundos

A minha opinião é simples: quanto mais diversificado melhor. Ou seja, em vez de ter um fundo sobre Portugal é preferível ter um fundo sobre toda a Europa. Em vez de ter um fundo sobre a Europa é preferível ter um sobre o mundo todo!

Fundos Globais

Existem alguns fundos sobre o mundo todo mas pessoalmente não invisto neles. A razão é simples: os fundos de índice dão o peso proporcional a cada componente, ou seja, por exemplo se a Apple representa 3% do valor total do índice, o fundo vai ter 3% em ações da Apple.

Assim sendo um fundo índice sobre o mundo todo vai ter cerca de 55% em ações Americanas porque é o peso que elas têm na realidade. Para um investidor Americano isto é fantástico e com um fundo apenas, tem um portfólio bem equilibrado e diversificado. 

Mas para um Português como eu, é demasiado inclinado para ações americanas e traz mais risco de flutuação cambial. 

Não considero má ideia e se quiser simplicidade pode optar por um fundo assim e não está a fazer uma escolha errada mas simplesmente acho que tenho ideia melhor e divido as minhas componentes de fundos de ações e de obrigações em meia dúzia de fundos. Assim fico mais diversificado e equilibrado.

Tenho por exemplo um fundo sobre ações do Japão, outro da Europa e por aí adiante.

Relembro: se tiver por exemplo 60% num fundo índice de ações globais (do mundo todo) e 40% num fundo índice de obrigações globais, não está errado e não precisa de complicar mais que isso.

Eu não me importo de ter vários. Até dá jeito para não ter o dinheiro todo no mesmo sítio. Se quiser saber em detalhe quais os fundos de que gosto para cada situação veja os exemplos de portfólios ou o meu portfolio.

Quando investir?

Vejo muita discordância e muita gente a tentar timing the market, tentar detetar a melhor altura para entrar e sair dos mercados. Digo tentar porque muita gente tenta e a maioria acaba por fazer o oposto: comprar caro e vender barato.

quando investir

A melhor estratégia é comprar de imediato. Se estamos a falar de dinheiro que não vai ser preciso pelo menos durante 7 ou 8 anos, hoje é o melhor dia para o investir.

Com covid ou sem covid, com as bolsas em alta ou em baixa. Os “gurus” da economia falham redondamente nas sua previsões e tentativas de detetar os pontos de entrada e nós, os simples investidores, não somos melhores que eles.

(quem tiver dúvidas de que tentar detetar os pontos de entrada é prejudicial à carteira dê uma olhada neste estudo)

Onde abrir uma conta de investimento

em que banco ter os investimentos

Pessoalmente uso a deGiro e estou a experimentar a revolut mas para quem procura um banco mais “tradicional” o banco best e o banco invest são os que têm melhor oferta em Portugal.

A maioria das pessoas fica relutante em abrir conta nalgum destes bancos mais pequenos ou mais modernos e não há nada errado nisso.

Se você tem conta na caixa geral de depósitos e é neles que sente confiança, força! Não há nada de mal nisso. Simplesmente a minha opinião é que as alternativas que apresentei são mais amigas em termos de comissões e são igualmente seguras.

Não sei como é no Brasil mas em Portugal os bancos tradicionais são peritos em cobrar comissões altas.

Pessoalmente não me faz qualquer diferença se escolhe a deGiro ou o Santander. Quase todos os bancos oferecem corretagem e o importante é que você poupe e invista!

Se o seu banco lhe dá a confiança necessária, força nisso!

O que não fazer

Mais importante do que saber o que fazer é saber o que não fazer!

Muitas pessoas confundem investimento com especulação. Muitos acham que trading é investir. E a maioria das pessoas que tem essa mentalidade perde dinheiro. Investimento de longo prazo é diferente de jogo. Quem nunca viu publicidade a dizer “invista em petróleo” ou “pessoa x está a investir em bitcoin”? Repito: isso não é investir!

investir em alternativos

O que não deve fazer:

  • fazer investimentos alavancados
  • comprar e vender ativos como se fossem a fruta do dia
  • fique longe dos forex
  • pagar demasiado em comissões (ETFs e fundos de índice costumam ser os mais baratos)
  • investir dinheiro que poderá precisar num futuro próximo
  • investir em coisas que não compreende

NOTA: a bem da transparência devo dizer que eu tenho bitcoin, ouro e outro tipo de “investimentos” mas numa quantidade pequena. Só não o recomendo à maioria das pessoas porque isso exige alguns conhecimentos avançados e são ativos puramente especulativos que a meu ver não fazem sentido para a maioria das pessoas.

Se mesmo assim quiser investir neste tipo de ativos limite-os a 5% do seu portefólio.

Investir passo a passo

Como pode ver investir é simples quando se sabe o que fazer.

Relembro os passos necessários:

  • decidir o peso entre ações e obrigações 
  • comprar os fundos escolhidos
  • equilibrar a cada 6 meses se necessário

São precisas poucas horas de trabalho inicial para perceber estes conceitos e tomar algumas decisões, depois basta perder uns 20 minutos por ano para rebalancear o portfólio se for preciso.

Não massacre muito a cabeça a decidir os fundos que vai ter no seu portfólio. Se no final de contas o Japão representa 8% da sua carteira em vez de 5%, ou se a Europa representa 15% em vez de 10%, não faz assim tanta diferença no panorama geral.

Ninguém está certo e ninguém está errado e no longo prazo vamos todos ter mais ou menos o mesmo retorno médio.

O importante é apenas uma coisa: comece a investir o quanto antes! 

Como disse Einstein, “a capitalização é a 8ª maravilha do mundo”. 

Se você acha que investir 20 ou 50€ por mês não leva a lado nenhum, deixe que lhe diga uma coisa: daqui a uns meses tem uma poupança suficiente para dormir descansado, e daqui a uns anos vai ver o quanto esse dinheiro cresceu!

Poupar e investir é um bom hábito. Não importa muito em quê. O que importa é que você invista.

Resumindo

Comece por entender bem os conceitos de ações, obrigações e fundos. Depois estude bem as ideias de portfólios para definir com clareza o seu objetivo. Se for preciso leia esses conceitos várias vezes. Todos aprendemos de maneira diferente e não há nada de errado se no principio essas coisas parecerem confusas!

Espero ter sido útil e ter contribuído para o seu sucesso financeiro.

Boa sorte!