Obrigações – O que são e para que servem

(Atualizado em 14 Setembro 2020)

Certamente que já ouviu nas notícias que determinada empresa estava a emitir obrigações. As obrigações, tal como as ações, são um conceito muito importante no mundo dos investimentos e é normal fazerem parte do portefólio de muitos investidores.

O que é uma “obrigação”?

Uma obrigação é um investimento de dívida em que um investidor empresta dinheiro a uma entidade (tipicamente uma empresa ou ao governo) que recebe esse empréstimo por um período de tempo definido a uma taxa de juro variável ou fixa. Os títulos são usados por empresas, municípios, estados e governos soberanos para arrecadar dinheiro e financiar uma variedade de projetos e atividades. Os titulares de obrigações são titulares de dívidas, ou credores, do emitente.

A Obrigação é uma dívida

Os títulos são comumente chamados de títulos de renda fixa e são uma das três principais classes de ativos genéricos, juntamente com ações (“equities”) e equivalentes de caixa. Muitos dos títulos, quer emitidos pelas empresas, quer por entidades governamentais são negociados publicamente em bolsas, enquanto outros são negociados apenas em balcão (designado mercado OTC).

Como funcionam as obrigações

Quando as empresas ou outras entidades necessitam de angariar fundos para financiar novos projectos, manterem operações em curso ou refinanciarem outras dívidas existentes, podem emitir obrigações directamente aos investidores, em vez de obterem empréstimos junto de um banco. A entidade endividada (emissora) emite uma obrigação que declara, contratualmente, a taxa de juro (cupão) que será paga e o momento em que os fundos emprestados (valor facial) devem ser devolvidos (data de vencimento).

O preço de emissão de uma obrigação é normalmente definido ao par, normalmente US $ 100 ou US $ 1.000 é o valor nominal por obrigação individual. O preço real de mercado de uma obrigação depende de vários fatores, incluindo a qualidade de crédito do emitente, o período de tempo até ao vencimento e a taxa de cupão em comparação com o ambiente da taxa de juro geral no momento.

obrigações

Exemplo

Como as obrigações de cupão à taxa fixa irão pagar a mesma percentagem do seu valor facial ao longo do tempo, o preço de mercado da obrigação flutuará à medida que esse cupão se torna desejável ou indesejável, dadas as taxas de juro prevalecentes num dado momento no tempo. Por exemplo, se uma obrigação é emitida quando as taxas de juros prevalecentes são de 5% a um valor nominal de US $ 1.000 com um cupão anual de 5%, ele irá gerar cash-flows de US $ 50 por ano para o titular dos títulos. Ao titular dos títulos seria indiferente a compra do título ou o depósito do mesmo dinheiro à taxa de juro vigente.

Se as taxas de juros caem para 4%, o título continuará a pagar a 5%, tornando-se uma opção mais atraente. Os investidores vão comprar esses títulos, oferecendo um preço superior ao valor facial, ou seja, com prémio, até que a taxa efetiva sobre o título seja igual a 4%. Por outro lado, se as taxas de juros se elevam a 6%, o cupão de 5% deixa de ser atrativo e o preço do título diminuirá, vendendo a desconto até que a taxa efetiva seja de 6%.

Devido a este mecanismo, os preços dos títulos movem-se inversamente com as taxas de juro.

Características das obrigações

A maioria dos títulos compartilha algumas características básicas comuns, incluindo:

• Valor nominal é o montante em dinheiro que a obrigação vai valer no seu vencimento, e é também o valor de referência que o emitente da obrigação usa ao calcular os pagamentos de juros.
• A taxa do cupão é a taxa de juros que o emitente da obrigação pagará sobre o valor nominal da obrigação, expressa em percentagem.
• Datas do cupão são as datas em que o emissor da obrigação vai fazer pagamentos de juros. Os intervalos típicos são pagamentos anuais ou semestrais.
• A data de vencimento é a data em que a obrigação vencerá e o emissor da obrigação pagará ao detentor da obrigação o seu valor nominal.
• Preço de emissão é o preço a que o emitente da obrigação vende originalmente as obrigações.

Duas características de um título – qualidade de crédito e duração – são os principais determinantes da taxa de juro de um título. Se o emissor tiver uma má notação de crédito, o risco de incumprimento é maior e esses títulos tendem a ser negociados a desconto (abaixo do seu valor). As notações de crédito são calculadas e emitidas por agências de notação de risco. Os vencimentos das obrigações podem variar de um dia ou menos até mais de 30 anos. Quanto mais longa a maturidade da obrigação, ou duração, maiores as possibilidades de efeitos adversos. Os títulos com prazo mais longo também tendem a ter menor liquidez. Devido a esses atributos, os títulos com um tempo de maturidade mais longo costumam ter associada uma taxa de juros mais alta.

Ao considerar o risco das carteiras de títulos, os investidores normalmente consideram a duração (sensibilidade ao preço às mudanças nas taxas de juros) e a convexidade (curvatura da duração).

Emissores de Obrigações

Existem três categorias principais de títulos.

• As obrigações empresariais são emitidas por empresas.
• Os títulos municipais são emitidos por estados e municípios. Os títulos municipais podem oferecer o cupão isento de impostos para os residentes desses municípios.
• Os títulos do Tesouro norte-americanos (com mais de 10 anos de vencimento), notas (1 a 10 anos de vencimento) e letras (menos de um ano até o vencimento) são denominados simplesmente de “Treasuries”.

Variedades de Obrigações

• As obrigações de cupão zero não efetuam pagamentos regulares então, em vez disso, são emitidas com desconto até que o seu preço de mercado acabe por convergir para o valor nominal na data de vencimento. O desconto que uma obrigação de cupão zero vende será equivalente ao rendimento de uma obrigação de cupão semelhante.
• As obrigações convertíveis são instrumentos de dívida com uma opção de compra (“call”) incorporada que permite aos obrigacionistas converterem a sua dívida em ações num certo momento se o preço da ação aumentar para um nível suficientemente elevado para tornar tal conversão atrativa.
• Alguns títulos tem a opção “callable”, o que significa que a empresa pode pedir aos obrigacionistas que devolvam os seus títulos se as taxas de juros caírem o suficientemente. Essas obrigações são normalmente negociadas a prémio, comparativamente a obrigações sem essa opção, devido ao risco de a opção ser exercida e também devido à sua relativa escassez no mercado de títulos hoje em dia. Outras obrigações têm a opção “putable”, o que significa que os credores podem colocar a obrigação de volta para o emitente se as taxas de juros subirem o suficiente.

A maioria dos títulos de empresas no mercado de hoje são chamados de “bullet bonds”, sem opções incorporadas cujo valor nominal total é pago imediatamente na data de vencimento.

Fundos de obrigações

fundos de obrigações

De momento a nossa recomendação em termos de fundos de obrigações recai sobre duas opções:

Lyxor Euro MTS all Maturity

Este fundo agrega obrigações de curto, médio e longo prazo de governos dos maiores paises Europeus. Se só comprar um fundo de obrigações em euros, este é uma boa opção.

ishares US treasury 1-3 euro hedged

Obrigações de curto prazo do tesouro Americano. Com a recente desvalorização do dólar nas últimas semanas devido ao covid-19, este fundo é uma boa adição para quem já tem a componente de obrigações com base em euros.