Facebook vai lançar moeda digital para “competir” com bitcoin


Moeda deve se chamar Libra e terá seu valor atrelado a alguma divisa tradicional, como euro ou dólar

Após anos de especulação, o Facebook deve finalmente lançar sua criptomoedaLibra, no dia 18 de junho. Nesta data, segundo o TechCrunch, a rede social deve publicar um paper explicando o funcionamento da moeda virtual (já é tradição nesse mercado o lançamento de white papers para descrever as características de uma nova moeda).

Em alguns comunicados anteriores, o Facebook deu algumas pistas sobre como seria sua criptomoeda.

O que se sabe até agora?
Primeiro, a moeda virtual da rede social deve ser uma stablecoin. Isso significa que seu valor deve ser atrelado ao de alguma divisa mais tradicional, como dólar ou euro, para evitar flutuações drásticas em sua cotação, o que tem acontecido regularmente com as cryptomoedas tradicionais como o bitcoin. Fazer isso, lembra a Fast Company, requer algumas manobras financeiras e capital. Mas o Facebook “certamente tem os fundos e acesso à experiência necessária para sustentar o preço de sua moeda”, diz a publicação.

Segundo reportagem do The Information, a rede social teria conversado com instituições financeiras pedindo contribuições para formar uma cesta de US$ 1 bilhão em diversas moedas internacionais e papeis de baixo risco, como objetivo de estabilizar essa moeda. A volatilidade tem dificultado a adoção de criptomoedas como bitcoin e ethereum na função de meios de pagamento.

O Facebook provavelmente permitiria que os usuários da criptomoeda fizessem transferências pelo WhatsApp e Facebook Messenger. Assim, as pessoas poderiam contornar taxas de cartão de crédito e bancárias, e até mesmo fazer transferências de capital de um país para outro. Vale lembrar que pagamentos via aplicativos de conversa como WeChat se tornaram populares na China, mas tal sucesso não foi replicado por outros apps nos demais países.

A rede social mais usada do mundo anunciou hoje uma parceria com diversos gigantes corporativos como a uber, paypal, entre outros, os quais vão entrar cada um com 10 milhões de dolares para o desenvolvimento desta moeda digital, criando assim um consorcio para a gestão da moeda que aparentemente se vai chamar Libra.

O panico regressou aos traders de criptomoeda e as opiniões dividem-se entre aqueles os que acham isto ser ou não uma coisa boa para o mundo das criptomoedas.

O futuro dirá se o povo prefere a Libra, ou bitcoin.