ABC do investimento – Parte 2 – O que é investir?

Parte 1 – Introdução
Parte 2 – O que é investir?
Parte 3 – Conceito de Capitalização
Parte 4 – Conheça a sua personalidade como investidor
Parte 5 – Prepare-se para contradições
Parte 6 – Tipos de investimento
Parte 7 – Portefólio e diversificação
Parte 8 – Conclusão

Investir

-Ato de comprometer o dinheiro ou o capital a algo com a expectativa de obter um rendimento ou um lucro adicional.

É bastante simples na realidade: investir significa colocar o seu dinheiro a trabalhar para si. Essencialmente, é uma maneira diferente de pensar em como ganhar dinheiro. Ao longo da nossa vida, foi-nos dito que para ganharmos dinheiro teríamos que arranjar um emprego e trabalhar. E isso é exatamente o que a maioria de nós faz. Há um grande problema com isso: se você quer mais dinheiro, tem que trabalhar mais horas. No entanto, há um limite para quantas horas por dia nós podemos trabalhar, para não mencionar o facto de que ter imenso dinheiro não é divertido se não tivermos tempo para desfrutar dele.

Uma vez que você não pode criar uma cópia de si mesmo para aumentar o seu tempo de trabalho, precisa de usar uma extensão de si mesmo – o seu dinheiro – para o “trabalho”. Dessa forma, enquanto você está a trabalhar para o seu patrão, ou até mesmo a dormir, ler o jornal ou socializar com os seus amigos, você também pode estar a ganhar dinheiro noutro lugar. De uma forma muito simples, fazer com que o seu dinheiro “trabalhe” para você maximiza o seu rendimento, quer você receber um aumento ou não, quer decida trabalhar horas extras ou até procurar um emprego que o remunere melhor.

Há muitas maneiras alternativas para fazer um investimento. Tais como, colocar o seu dinheiro em ações, títulos, fundos mútuos, ou investir em imobiliário (entre muitas outras coisas), ou até mesmo iniciar o seu próprio negócio. Às vezes, as pessoas referem-se a estas opções como “veículos de investimento”, que é apenas uma outra maneira de dizer “uma maneira de investir”. Cada um destes veículos tem aspetos positivos e negativos, aspetos esses que discutiremos numa seção posterior deste tutorial. O ponto aqui é que não importa qual o método que escolhe para investir seu dinheiro, o objetivo é sempre colocar o seu dinheiro a “trabalhar” para que você possa ganhar um rendimento adicional. Mesmo que esta seja uma ideia simples, é o conceito mais importante que você deve entender.

O que não é investir?

Investir não é jogar. Jogar é expor o seu dinheiro ao risco apostando num resultado incerto com a esperança de vir a ganhar algum dinheiro. Parte da confusão entre investir e apostar, no entanto, pode vir da forma como algumas pessoas usam veículos de investimento. Por exemplo, pode-se argumentar que a compra de uma ação baseada numa “dica” que você leu num refrigerador de água é essencialmente o mesmo que colocar uma aposta em um casino.

O verdadeiro investimento não acontece sem que haja alguma ação da sua parte. Um “verdadeiro” investidor não usa o seu dinheiro num investimento qualquer, ele executa uma análise completa e apenas compromete o seu capital quando há uma expectativa razoável de lucro. Sim, ainda há risco, e não há garantias, mas investir é mais do que simplesmente esperar que a “sorte” esteja do seu lado.

Porque é que deve preocupar-se em investir?

Obviamente, todos nós queremos mais dinheiro. É fácil de entender que as pessoas investem porque querem aumentar a sua liberdade, senso de segurança e capacidade de conseguir pagar as coisas que sempre quiseram na vida.
No entanto, investir é cada vez mais uma necessidade. Os dias em que todo o trabalhador tinha o mesmo trabalho durante 30 anos e depois se reformava com uma reforma “gordinha” é coisa do passado. Para as pessoas comuns, investir não é só uma ferramenta útil, mas também a única maneira que eles têm para se reformarem e manter o seu estilo de vida atual.

Se você mora num país ocidental industrializado, os governos estão a “apertar os cintos”. Quase sem exceção, a responsabilidade de planear a reforma está cada vez mais do lado indivíduo e menos do lado do estado. Há muito que se debate sobre o grau de segurança dos nossos programas de pensões de velhice nos próximos 20, 30 e 50 anos. Mas por que haveríamos de deixá-lo ao acaso? Ao planear com antecedência pode garantir a estabilidade financeira durante a sua reforma!

Agora que você tem uma ideia geral do que é investir e porque deve fazê-lo, é hora de aprender sobre como conseguir tirar benefícios de um dos milagres da matemática: a capitalização (“compounding”).